Crianças Prodígio

08/09/2009 às 8:38 pm | Publicado em Hein?, Música, Vídeo | 9 Comentários
Tags: , ,

Sim, sei que estou postando demais sobre covers que encontro no youtube (Confesso que já pensei em transformar num quadro semanal), mas afinal, eu estou aqui pra falar exatamente de música. Então acho digno.
Bem, a Isabela Maciel nos enviou o vídeo de um guri (um anão, na minha assustada opinião) chamado Sungha Jung tocando violão como poucos adultos. A versão dele para No Woman No Cry me deixou muito impressionado. Confiram:

Confira outros vídeos do japinha aqui
Então, depois de ver esse vídeo, me veio a ideia de mostrar mais algumas crianças prodígio quando se trata de música.
Pra começar, um coral de garotos que faz covers de várias músicas POP. Eles são encantadores, se entregam à música de um jeito que te prende ao vídeo. Eles em “Just Dance” da Lady Gaga é muuito legal.

Agora um garoto chamado Shaheen Jafargholi. Ele se inscreveu para participar daquele mesmo programa que revelou a Susan Boyle e foi enfrentar os jurados com uma coragem invejável. Simon (O jurado mais temido) o interrompeu, fez críticas e ao invés de Shaheen ficar com medo e perder a sua chance, ele deu um verdadeiro show. Fez tanto sucesso que foi convidado pra cantar no Funeral Show de Michael Jackson.

E por fim, uma garotinha de apenas 6 anos, chamada Emily Bear que toca piano como ninguém (quando eu digo como ninguém é no sentido literal da expressão). Ela se apresentou no programa da Ellen Degeneres e fez uma música para a apresentadora em… 10 minutos!

Espero que gostem. Até mais… E comentem!!

Backstreet Boys – Novo Clipe – Straight Through My Heart

28/08/2009 às 7:49 pm | Publicado em Hein?, Música, News, WTF?! | 1 Comentário
Tags: , , , , ,

Se você viveu infância/adolescência nos anos 90, com certeza conviveu com Backstreet boys. No mínimo, sua irmã/amiga/colega era LOKA por eles.
Bem, a boyband está de volta (na verdade ela ensaia estar de volta desde o àlbum Never Gone, em 2006). O novo cd, “This Is Us” será lançado oficialmente em 6 de Outubro e o Clipe do primeiro Single acaba de sair. Confira:

Sobre o clipe: Bem, eu adoro a música dos anos 80 e 90. Adoro a música dessas boybands que investem no vocal (quando ele não é fake). Mas se tem algo que não me faz falta, são os clipes dessas épocas. “Straight Through My Heart” é muito, muuuito trash. Chega a ser bizarro. Uma pena, mas entre os 3 ensaios para a volta dos Backstreet boys, esse é o que mais tem chances de floopar. Que clipe mais tosco! Horrível! Amador!! OH MY EYES! A música, entretanto, tem salvação (assim espero).

CuboMusic: Colbie Caillat – “Breakthrough” (crítica)

27/08/2009 às 8:48 pm | Publicado em Música | 2 Comentários
Tags: , , ,

cubomusic

Colbie-Caillat-u14Colbie Caillat acaba de lançar seu segundo álbum, intitulado “Breakthrough”. Sucessor de“Coco”, o segundo trabalho vem ainda mais suave e maduro, apesar de pouco ousado. Mas Colbie não deixa de impressionar com sua doçura, linda voz e uma pouca pretensão que acaba satisfazendo bastante.
Colbie vem de grandes sucessos como “Bubbly”, “Realize” e “Midnight Bottle”, todas muito radiofônicas (a última, inclusive, fez parte da trilha sonora da novela global, “Três irmãs” e ainda bomba nas rádios do Brasil). Há também “Lucky”, música em parceria com Jason Mraz que ainda está no topo das paradas e é fabulosa. Enfim, dar continuidade a esse trabalho recheado de sucessos não é tarefa fácil, mas Colbie fez boa coisa mais uma vez. “Breakthrough” possui 13 faixas e grande parte delas tem boas chances de fazer sucesso.
As músicas permanecem numa zona de conforto interessante. É preciso compreender também, que um segundo álbum é, normalmente, o que tem grandes chances de floopar. Os artistas não costumam revolucionar muito nesses trabalhos. E em “Breakthrough”, tudo é muito suave e lento, mas nunca monótono.
A pouca ousadia não significa, tampouco, que Colbie não nos traga surpresas. Suas influências musicais estão mais explícitas. Há um pouco de jazz, country, até mesmo do soul. Mas tais elementos nunca prejudicam ou poluem o absoluto Surf Pop e seus sons acústicos maravilhosos. Colbie, na minha opinião, representa muito melhor o estilo do que outros, que chegam a dar um sono terrível com suas batidas iguais em todas as músicas (Não, não vou citar nomes, mas é um cara bem famosinho). Existe um diferencial delicioso em Colbie: o piano incisivo, na hora que deve ser. Sim, o piano definitivamente é o forte das suas melodias. Sempre o piano. Aprendam.


Os destaques do álbum são: O primeiro Single, “Fallin’ For You” Uma linda música que eu dou um braço se não tiver em alguma novela da globo, no futuro; “Droplets”, com participação de Jason Reeves. Uma das mais lindas de álbum e da carreira da Colbie; “I Never Told You”, outra que também tem chances de cair numa novela e “Fearless”, de um piano lindo e a faixa mais diferente do álbum.

Cotação faixa-a-faixa:
1. I Won’t4 cubos
2. Begin Again5 cubos
3. You Got Me4 cubos
4. Fallin’ for You 6 cubos
5. Rainbow4 cubos
6. Droplets6 cubos
7. I Never Told You6 cubos
8. Fearless6 cubos
9. Runnin’ Around4 cubos
10. It Stops Today4 cubos
11. Break Through4 cubos
12. Breakin’ at the Cracks4 cubos

Por hoje é só. Bjos pra @ivetesangalo.

p.s – Guto, o CuboMusik que você quer vai sair. Prometo.

Cubo Music: Ana Carolina – N9VE (crítica)

20/08/2009 às 1:20 pm | Publicado em Música, News | 1 Comentário
Tags: , , ,

cubomusic
noveA cantora e compositora Ana Carolina acabou de lançar um novo álbum. N9VE vem para comemorar os dez anos de carreira (nacional) da cantora. E vem com a responsabilidade de suceder o fantástico (apesar de excessivo) “Dois Quartos”. E o cd fez isso com classe. É fantástico quando você ouve o cd de um artista que já tem suas marcas consagradas, e ele te surpreende. N9VE tem referências do tango, da música latina em geral, do eletrônico, do samba, da bossa nova… É uma mistura na medida exata de vários elementos, que vêm recheados com a identidade de Ana.

Ana Carolina, na minha humilde opinião, é o retrato da música contemporânea popular brasileira. Dona de uma voz única, ela é responsável por hits que marcaram muitos, como trilhas de novelas ou não. Citá-los aqui pode tornar-se um trabalho injusto, porque não vou me lembrar de todos, e todos merecem destaque. E ela está nova em folha, maravilhosa, mais uma vez.
Em contraponto com o duplo “Dois Quartos”, N9VE só possui nove músicas (por que será?), o que eu vejo como uma qualidade absurda. Ana deveria adotar esse número por um bom tempo. As nove músicas têm consistência e tempo o suficiente para encaixarem perfeitamente no álbum, sem nenhum (ou quase nenhum) excesso.
E como se não bastasse, o cd conta com participações especiais fantásticas! Mais do que fantásticas, geniais. John Legend, Chiara Civello e os inclassificáveis Daniel Jobim e Esperanza Spalding são de uma humildade e entrega musical emocionantes. Tanto que as faixas nas quais eles estão, são as melhores do CD, sem sombra de dúvidas (e isso não apaga a Ana, até porque apagar Ana Carolina não é algo possível)

Fico muito feliz de falar desse álbum e dessa Cantora. Gosto de falar de todo tipo de música aqui, é claro. Mas esse de fato foi o CuboMusic mais gostoso de escrever.
Aqui vão as cotações de cada faixa. Destaque para Entreolhares, 8 Estórias, Resta e Traição. (Na verdade o destaque vai para todas as músicas. Dik)

1.10 Minutos 4 cubos
2.Dentro 5 cubos
3.Tá Rindo, É? 5 cubos
4.Entreolhares (The Way You’re Looking at Me) 5 cubos
5.Era – 4 cubos
6.8 Estórias 5 cubos
7.Resta (Part. Chiara Civello) 6 cubos
8.Torpedo 4 cubos
9.Traição (Part. Esperanza Spalding e Daniel Jobim) 6 cubos

Por hoje é só. Beijos e abraços. Até semana que vem.

Clipes, Clipes e mais Clipes.

13/08/2009 às 4:26 pm | Publicado em Cubolink's, Música, Uncategorized, Vídeo | 5 Comentários
Tags: , ,

cubomusic

Gente. O dia de hoje está master complicado. Estou resolvendo mil coisas da minha mudança e outras coisinhas o resto do meu futuro. Por isso não posso fazer um master post. Então resolvi trazer pra vocês os muitos clipes que foram lançados essa semana. Aí vão todos eles:

Desculpem pela péssima CuboMusic de hoje. Prometo fazer melhor no futuro. Até semana que vem.

CuboMusic – Pitty: Chiaroscuro (crítica)

06/08/2009 às 8:22 pm | Publicado em Música, News, Vídeo | 12 Comentários
Tags: , , , ,

cubomusic

capa_pitty_final_1_baixaPitty está lançando seu novo álbum, denominado Chiaroscuro (do Italiano, Claro e Escuro). Eu adoro a cantora e a banda, mas não pretendia falar dela hoje na coluna. Acontece que eu vi o clipe do novo Single, “Me adora” e não resisti. Por isso, o CuboMusic de hoje é dedicado à essa banda, liderada pela cantora baiana Pitty, e ao seu mais novo trabalho.

Chiaroscuro é o terceiro álbum de estúdio de Pitty. Seus precursores foram “Admirável Chip Novo” e “Anacrônico”. Todos os trabalhos da cantora são marcados pelas letras com profunda ironia e críticas à nossa realidade sociocultural absolutamente cínica.

Além do mais, o que mantém a cantora/banda nos topos das paradas são as constantes renovações na sua forma de fazer música. E Chiaroscuro não foge à regra de fugir à regra (rsrs). O álbum está mais maduro, mais filosófico, mais divertido e menos gritante. Está bem equilibrado, muito bem trabalhado; segue uma linha de coerência muito rara hoje em dia, no tempo do download de músicas avulsas, ao invés do consumo de um álbum, na consciência de que ele é a identidade presente do artista.

Em várias faixas, há citações interessantes, que vão desde filósofos e pensadores até ditos populares e composições de Roberto Carlos, o que demonstra que Pitty não faz música sem um propósito. A concepção da canção é estudada e trabalhada, como toda obra de arte deve ser. A visão que o álbum transparece é de que foi feito para atacar e combater de forma deliciosa, muitos paradigmas ainda vigentes na sociedade, desde o simples tabu de dizer um palavrão, até a problemática da mulher e sua jornada dupla (tripla, quádrupla e por aí vai…) de trabalho (leia-se todo tipo de trabalho que envolve a vida da mulher, não apenas o remunerado).

No que diz respeito às melodias, tudo está renovado. Há elementos de vários estilos musicais nas canções, mas o disco não abandona sua identidade rock. “água contida”, por exemplo, mescla elementos de tango com um refrão marcante cheio de riffs. “8 ou 80” parece ter sido feita ao longo de toda a concepção do álbum, como se representasse a busca pelo caminho que deveria ser trilhado. Me pareceu um ensaio.

“Me adora” merece um parágrafo a parte. A música é deliciosa. Faz rir e pode até chocar no primeiro instante. Somos parte formadora dessa sociedade abarrotada de falsa moral; é natural nos sentirmos inicialmente desconfortáveis perante a palavra “foda” inserida numa música. Acontece que esse possível choque cai por terra, quando a gente processa como nosso sentimento não passa de hipocrisia. A música também tem um quê de Waldick Soriano, Reginaldo Rossi e principalmente Sidney Magal. Ficou chocado? Para com isso, seu hipócrita!!! Prestem atenção se ela não tem um pouquinho maravilhoso de brega. Se discorda, me xinga lá nos comentários, ou vai conhecer uma banda chamada “Pedra Letícia” e desconstrua seus conceitos sobre o brega.

O clipe da música também foi muito bem trabalhado, bem iluminado. Perfeito.

Cotação faixa-a-faixa de Chiaroscuro. Destaque para “Medo”(#Medo), “Água Contida”, “Só Agora”, “Desconstruindo Amélia” e “Todos Estão Mudos”:

  1. “8 ou 80”4 cubos
  2. “Me Adora”6 cubos
  3. “Medo”4 cubos
  4. “Água Contida”4 cubos
  5. “Só Agora”5 cubos
  6. “Fracasso”3 cubos
  7. “Desconstruindo Amélia”5 cubos
  8. “Trapézio”3 cubos
  9. “Rato na Roda”4 cubos
  10. “A Sombra”3 cubos
  11. “Todos Estão Mudos”4 cubos

– Rapidinhas –

– Avril Lavigne anunciou que seu próximo álbum será acústico e mais maduro. Segundo a própria cantora, não é pop-rock. Fala mais de emoção e sentimento. Vamos aguardar né?
– Xuxa (Sim, a rainha dos baixinhos) vai gravar um cd de natal onde pretende regravar sucessos de Britney (It’s Xuxa Bitch) e ‘NSync. #Medo.
– Victoria Beckham, ex-Spice Girl e esposa do jogador David Beckham será jurada num dos programas da próxima edição do American Idol. Paula Abdul já declarou que não voltará mais ao programa.
– A Universal Music retirou do youtube o vídeo famoso da contora Stefhany, versão de “A Thousand Miles”, da cantora Vanessa Carlton. Stefhany já tinha sido proibida de cantar a música no Caldeirão do Hulk. Por que não proibem a Calcinha Preta também? Pelo menos stefhany é linda e absoluta.

Por hoje é só. Até semana que vem.

CuboMusic: Ryan Tedder e a polêmica das músicas iguais

30/07/2009 às 7:28 pm | Publicado em Hein?, Música, Vídeo | 1 Comentário
Tags: , ,

cubomusic

6a00e398ac8b09000300fae8bbb9e3000b-320pi Até hoje essa coluna falou sobre recentes lançamentos de álbuns, fez críticas aos mesmos e analisou de suas faixas. Dessa vez, vamos mudar um pouco o foco do trabalho. Vamos falar de um produtor e compositor chamado Ryan Tedder, mais conhecido como o vocalista do OneRepublic e autor do Master Hit “Apologize”.
Obviamente não estou aqui para colocar em xeque a capacidade do rapaz de produzir hits musicais. Mas aconteceu algo muito particular comigo, ligado a ele. E no fim das contas, não dava pra deixar de falar disso aqui no blog.
Ainda no início do ano, eu conheci “Already Gone”, música de Kelly Clarkson que foi anunciada como seu futuro single do (maravilhoso) álbum “All I ever Wanted”. A música foi adjetivada como “muito parecida com Halo, de Beyoncé” e como eu adoro “Halo”, não pude deixar de notar que as bases das duas são realmente muito parecidas. Além da estruturação das letras (Não a letra como poesia, mas a distribuição dos versos na melodia) ser praticamente idêntica.
Então um dia, eu gravei um CD (Sim, eu ainda gravo cd’s) para ouvir no carro, durante uma viagem. E aleatoriamente, “Halo” e “Please don’t stop the rain” foram as duas primeiras faixas da gravação. “Please don’t stop the rain” é uma música de James Morrison, um talentosíssimo cantor inglês, famoso por “Broken Strings” e “You Give me something”. Pois ouvindo as duas músicas, eu reparei que elas eram parecidas, também na estruturação da letra e incrivelmente no piano característico e na percussão incisiva. Para confirmar (e você também pode fazer isso), eu tentei cantar uma música enquanto reproduzia a outra. Batata! Encaixavam quase que perfeitamente, apesar dos diferentes tons, é claro.
Passou o tempo, e Jordin Sparks lançou seu novo álbum, intitulado “Battlefield”. Eu me peguei ouvindo uma música do CD, chamada “The Cure” E Zás! A música é parecidíssima com todas essas citadas anteriormente; e pasmem: Num determinado momento até reproduz uma batida exatamente igual ao coro que canta “I can see your Halo”, na música de Beyoncé.
Para culminar, Kelly Clarkson finalmente lançou Already Gone” como Single, e toda a polêmica em torno dela estourou. Kelly declarou aos quatro ventos seus desentendimentos com a gravadora a respeito da divulgação da canção e Ryan Tedder, produtor e peça-chave da discussão se defendeu da acusação de que teria oferecido músicas iguais a Kelly e Beyoncé.
Era informação demais para que eu não pesquisasse. Então lá fui eu pesquisar quem seria o produtor de “Please don’t stop the rain” e “The Cure”. Adivinha. Ryan Tedder!! O próprio! Bem, tenho que confessar que não encontrei nenhuma informação oficial de que ele seja produtor de “The Cure”, mas o moço assina a produção do álbum inteiro no qual a faixa está incluída. E as semelhanças são tão óbvias que não dá pra excluí-la dessa analise.
Obviamente não dá pra acusar Ryan de plágio, afinal todas as músicas são suas, ele não roubou de ninguém além de si mesmo. Mas venhamos e convenhamos, apesar do fato de que as 4 músicas são absolutamente adoráveis, não dá pra dizer que ele prima pela originalidade.
Ufa, ficou grande o texto, hein? Confira nesse vídeo a montagem feita pelo 3 ao Cubo, contemplando as 4 canções. Dá pra perceber direitinho como são parecidas, apesar dos diferentes estilos no que diz respeito à de James Morrison, comparada às outras.

CuboMusic: Daughtry – “Leave This Town”, O novo álbum da banda. (crítica)

23/07/2009 às 5:54 pm | Publicado em Música | 3 Comentários
Tags: ,

cubomusic

200px-Daughtry_leave_this_townQuando pensei em falar do novo álbum da banda Daughtry, tive certos receios. Primeiramente pelo fato de o líder da banda ser um ex-american idol e eu já ter falado demais do pessoal que saiu de lá. Em segundo lugar, por eu não ser nenhum profundo entendedor de Rock. E na semana passada já tinha falado de uma banda da qual não sou grande fã. Tive medo de tudo parecer superficial. Mas quando li a notícia de que Daughtry havia arrancado o finado Michael Jackson do topo da Billboard, encontrei meu aval. Enfim, o CuboMusic da semana vai para essa banda norte-americana, fundada e liderada por Chris Daughtry.

Algumas curiosidades sobre Daughtry
– “Leave this Town”, título do álbum recém-lançado e já recordista, refere-se a um trecho de “September”, faixa sete do disco.
– A banda (Chris, especificamente) é dona de um dos hits mais radiofônicos dos últimos tempos “Home”.
– O novo álbum tem composições do próprio Chris, em parceria com nomes de renome que possuem músicas para bandas como Lifehouse, Nickelback e Onerepublic.

O estilo musical da banda não é nenhuma novidade. As músicas seguem um padrão bastante comum nas atuais bandas populares de rock, como os próprios Lifehouse e Nickelback. Até mesmo o timbre vocal de Chris é parecido com os de outros cantores. Mas isso não tira o mérito do álbum.
A enorme maioria das músicas é gostosa de se ouvir, passeando tranquilamente no caminho entre a produção de hits e a identidade artística, ambos elementos obrigatórios nos dias de hoje. Toda vez que há uma extrapolação, ela soa agradavelmente. Servem, inclusive, para que nossos ouvidos descansem um pouco das melodias parecidas e repetitivas (pra que mexer em time que está ganhando?). Algumas faixas também poderiam ser muito melhor aproveitadas, se o tom utilizado por Chris fosse reduzido minimamente. Mas quem sou eu pra determinar qual o tom que agrada mais o público consumidor, não é mesmo?
O meio do álbum é o menos provido de identidade, mas não significa que as músicas sejam ruins. Apenas pouco arriscadas e menos chamativas. Mas, em compensação, as últimas faixas do CD, “Supernatural”, “Tennessee Line” e “Call Your Name” são as que mais se destacam entre as doze. São diferentes, bonitas e não ignoram o estilo da banda, apesar de terem alguns de estilos diferentes.
O primeiro single do álbum é “No Surprise” o que não é nenhuma surpresa (Rá! Piada/trocadilho infame), já que ela é agradável e não corre muitos riscos, obtendo o potencial de alcançar os diversos tipos de ouvintes. O clipe está logo abaixo.

1.”You Don’t Belong” — 5 cubos
2.”No Surprise” — 5 cubos
3.”Every Time You Turn Around” — 5 cubos
4.”Life After You” — 5 cubos
5.”What I Meant to Say” — 4 cubos
6.”Open Up Your Eyes” — 4 cubos
7.”September” — 4 cubos
8.”Ghost of Me” — 3 cubos
9.”Learn My Lesson” — 4 cubos
10.”Supernatural” — 5 cubos
11.”Tennessee Line” — 5 cubos
12.”Call Your Name” — 5 cubos

–Rapidinhas –
– O cantor britânico Morrissey homenageou o brasileiro Jean Charles (morto em 2005 por engano quando a polícia o confundiu com um terrorista) num show.
– O próximo single de Kelly Clarkson, already gone, terá seu clipe lançado na semana que vem. É claro, assim que ele sair postaremos aqui. Fonte: www.poplinebr.com
– Por fim, parece que Adam Lambert (Putz! Preciso falar de outra coisa que não seja American Idols!) gravou uma faixa para a trilha sonora do filme 2012. O filme estréia em novembro deste e fala do fim do mundo, previsto pelos maias, muito tempo atrás. Fonte: www.americanidolbrasil.com

Por hoje é só.  Bjos, abraços, apertos de mão e até semana que vem.

CuboMusic: Jonas Brothers – Lines, Vines and Trying Times (Crítica)

16/07/2009 às 5:31 pm | Publicado em Uncategorized | 1 Comentário
Tags:

cubomusic

20090422121716810Eu não sou nenhum fã entusiasta de Jonas Brothers. Tudo o que sei a respeito da música deles se resume às rádios e a algumas tentativas frustradas de ouvir os álbuns anteriores da banda. Mas de forma alguma sou daquelas pessoas que depreciam o trabalho de algum artista porque ele é popular entre os adolescentes, porque ele é comercial ou qualquer coisa do tipo. Na minha humilde opinião, comercial ou não, a música deve ser boa; deve transmitir alguma emoção a quem ouve. E rótulos não me convencem, não me afastam e tampouco me aproximam de nenhuma banda ou cantor.
Um mês atrás decidi falar do novo cd do trio de irmãos sensação no mundo inteiro. Mas toda a explosão de ansiedade causada por Harry Potter adiou meus comentários sobre Lines, Vines and Trying Times, quarto álbum da banda e terceiro de expressão mundial através da gravadora Hollywood Records.
É claro que a produção do cd ainda pensa nos hits, na produção em massa de primeiros lugares nos tops como a Billboard, mas isso é um defeito? Não sei, apenas acho que essa obrigatoriedade engessa o trabalho de qualquer um. Mas o novo álbum se desprende um pouco dessa zona de conforto. Os irmãos estão mais soltos, mostram mais sua identidade e até surpreendem em influencias que chegam ao Country(!!!). O resultado foi um álbum mais verdadeiro, mais original e… incrivelmente superior aos seus anteriores.
Claro que os Jonas Brothers ainda têm muito o que trilhar, muito o que crescer, para atingirem o nível de um trabalho maduro, mas eles merecem créditos sim, por Lines, Vines and Trying Times.
Destaque para a primeira canção “World War III”. Metais empolgantes e quase nenhuma confusão instrumental; “Fly with me” e “Hey Baby” também merecem destaque especial. E juro que em “Before the Storm”, eu achei que a voz mais aguda era do irmão mais jovem. Só depois descobri que era de Miley Cyrus!! Música boazinha também.
Faixas e notas em cubos:
1.”World War III”5 cubos
2.”Paranoid”3 cubos
3.”Fly with Me”4 cubos
4.”Poison Ivy”2 cubos
5.”Hey Baby” (feat. Johnny Lang)4 cubos
6.”Before the Storm” (feat. Miley Cyrus)3 cubos
7.”What Did I Do to Your Heart”3 cubos
8.”Much Better”3 cubos
9.”Black Keys”3 cubos
10.”Don’t Charge Me for the Crime” (feat. Common)2 cubos
11.”Turn Right”2 cubos
12.”Don’t Speak”3 cubos
Bonus Track: Keep It Real3 cubos

– Rapidinhas –

– O show que a cantora Madonna faria na cidade francesa de Marselha fooi cancelado. O palco desabou, matando uma pessoa e ferindo outras seis. Veja aqui
– Foi divulgada hoje, pelo site TMZ, um trecho de uma faixa inédita de Michael Jackson. A música se chama “A place with no name” e pode ser conferida aqui
– Booke White, cantora que participou do American Idol 6, acaba de lançar seu novo clipe, “Radio radio”. Confira aqui
– O cantor James Morrison anunciou parceria com John Mayer. Os dois ficaram amigos depois de Morrison abrir os shows de Mayer. Fonte: http://www.poplinebr.com
– A contora brasileira Pitty começou a divulgar seu novo álbum. O nome “Chiaroscuro” foi encontrado com ajudas dos fãs.

É isso, espero que gostem, até semana que vem.


Entries e comentários feeds.